Cafetão e lobista investigado no DF se candidatou a vereador no Sul

191

Apontado como cafetão em um inquérito da Polícia Civil do Distrito Federal, João Wilson Costa Sampaio tentou se lançar na política em 2016, quando foi candidato ao cargo de vereador em Porto Alegre pelo Partido Social Cristão (PSC). Sampaio é investigado por integrar uma rede de exploração sexual que atua no Rio Grande do Sul e na capital da República.

Interceptações telefônicas autorizadas judicialmente revelaram que ele também age como lobista, com livre trânsito no Congresso Nacional. De acordo com o inquérito, Sampaio “usa garotas de programa como ‘cartão de apresentação’ para tratar de assuntos diversos com políticos”, e manteve proximidade com o senador Ivo Cassol (PR-RO) e os colegas de partido e deputados Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e Eduardo Bolsonaro (PSC-SP).

Nos primeiros meses de 2016, enquanto era monitorado por agentes da 3ª DP (Cruzeiro), o cafetão entrou em contato com políticos e funcionários deles para defender o projeto de lei que regulamentava a fosfoetanolamina, popularmente conhecida como pílula do câncer.